Cuidados no banho e tosa com cachorros idosos

Cuidados no banho e tosa com cachorros idosos

Hoje é Dia dos Avós e queremos aproveitar para passar alguns cuidados no banho e tosa com cachorros idosos.

Assim como os seres humanos, os cães, quando atingem certa idade, começam a contar com uma série de limitações e doenças. Isso vai impactar diretamente a forma como devem ser tratados na hora do banho e tosa.

É importante ter consciência de que para ser considerado idoso, isso vai depender não apenas de quantos anos o cão efetivamente tenha, mas também de sua raça e porte. Os cães pequenos envelhecem mais tarde (depois de uns 7, 8 anos); já os de grande porte podem ser considerados maduros a partir dos 5 anos.

Para garantir o melhor atendimento aos seus clientes seniores, tenha os seguintes cuidados durante seu trabalho:

Pergunte ao tutor sobre as condições de saúde do animal

Essa é a primeira atitude de um bom profissional de Banho e Tosa que precisa cuidar de cachorros idosos. Você deve se certificar com o tutor quais são as limitações físicas e os problemas de saúde do animal.

A depender do que ele tenha, você saberá que tipo de manipulação pode ou não fazer e qual é a melhor forma de preparar o ambiente para dar banho, tosa e secar o cão.

Atente-se às partes corporais mais problemáticas nessa idade

Praticamente todos os cães idosos apresentam problemas em certas partes do corpo. São elas:

  • olhos: muitos desenvolvem catarata e ficam inseguros ao andar;
  • orelhas: é muito comum que hajam inflamações nos ouvidos de cachorros idosos;
  • articulações: os cães idosos também apresentam dificuldade de mobilidade devido a problemas nas “juntas” ou desgaste dos ossos.

Se o cão que você está cuidado tem algum desses problemas (ou todos), você precisará redobrar a atenção e a delicadeza ao mexer nesses pontos. Assim, tenha a preocupação de usar produtos que não incomodem os olhos, dedique um bom tempo à limpeza da orelha e mantenha o cão numa posição confortável.

Ambiente do banho

Os cães idosos têm uma tendência maior a se estressar por questões mínimas. Ao chegarem no Banho e Tosa, eles já se sentirão inseguros por não estarem em seu ambiente de casa, longe da sua famìlia.

Se, somado a isso, o local for incômodo, com muitos ruídos, por exemplo, há chances de que a experiência do banho seja negativa.

Assim, prepare o ambiente do banho da seguinte forma:

  • não deixe outros cachorros latindo junto com o cão idoso;
  • controle a temperatura ambiente e da água;
  • use um tapete de borracha para evitar que o animal possa escorregar;
  • peça a ajuda ou a presença de veterinário durante o banho, principalmente se o cão tem alguma ferida ou passou recentemente por procedimento cirúrgico.

A hora da tosa

Cuidados no banho e tosa com cachorros idososO principal cuidado na hora de tosar um cachorro idoso é que você opte por um estilo adequado à raça mas que não exija muita manipulação do corpo do animal.

Lembre-se que cães idoso costumam ter problemas nas articulações, podem apresentar também bultos ou ferida, assim, o ideal é que a tosa seja delicada e que não seja preciso manter o animal muito tempo de pé, pois isso pode causar dor nele.

Secagem do pelo

Para finalizar, no momento da secagem do pelo, garanta que ela bem feita para evitar problemas de pele. Cachorros idosos ficam com uma sensibilidade da pele muito maior, com isso, se a secagem for superficial, eles podem desenvolver algum tipo de dermatite.

Para evitar ruídos que estressem o cão, opte por um secador silencioso. E lembre-se de controlar a temperatura do ar e não aproximá-lo muito do animal.

Você pode se interessar:

Reparação de pelagem lisa: o que usar?

Banho em Spitz Alemão

Deixe uma resposta